© HG
Mensagens
Palestra do “P”
Prezados presentes... Peço a palavra! Parece-lhes pouco possível proporcionar palestra por palavras principiadas por p? Pois posso provar, praticamente para patentear propensa predileção pelos pp, particular perícia. Perícia própria, peculiar proporcionada pelo prolongado perpassar por perícias. Primeiramente pretendo prevenir: Poucas palavras por p. Poucas porém, próprias para preencher passagens pinturescas. Proporciono ao prezado público a presente palestra, por passatempo, prazer posto passageiro. Peço portanto, permissão para poder principiar, propondo primordial produto de profunda paciência e penosa persistência. Passageiro petulante, passando pela porta, parou pasmado, para perguntar porque pus na parede placas plenas de pp. Por quê? Preliminarmente porque possuo particular predileção oelos pp. Pugno por procedimentos pacíficos. Porque por p principiam as palavras: pulga, pílulas, palmeiras, prestações . Porque por p principiam as principais palavras portuguesas: pai, paz, prêmio, possibilidade, perdão. Porque por p principia a poderosa e prodigiosa palavra pátria. Pode portanto, um patriota postergar aos prestativos e privilegiados pp? Proponho pp para preencher predicados: para proclamar-me primordial pintor; para poder, pela própria persuasão dos pp, prender pessoas perdidas por pinturas, perfeitas. Porque os prefere o público. E preocupando-me o porvir preciso passar da popularidade à posteridade pela pachorrenta persistência e pertinente propaganda dos pp. Portanto, pois, a presente palestra, passa pela promessa: Pinto perfeitamente por pouco preço, para particulares, portas, portões, portinholas, portinhas e preciosas paisagens. Preparo produções, para projetar. Procuro propriedade para pagar a PRAZO. Percebo procurações, produzo, públicas permissões  perdidas, pessoalmente. Portanto, prezados presentes, precisando dos préstimos do pobre porém preparado pintor, podem procurar-me. Paulo Pacheco Penteado Peixoto Pereira Pinto. Paradeiro provisório: Praça Pedro Primeiro, Prédio principal, primeira porta. Pedindo permissão para por fim, ponho ponto final à parca palestra, peço perdão pelos pensamentos pouco pertinentes e pouco preciosos. Portanto, proponho ponto e peço palmas (Pe. José Motas – Nova Xavantina, MT – Família Cristã Ed. Pailinas)